Banner

segunda-feira, 19 de outubro de 2015

Minha opinião sobre casamento

(Esse post reflete a apenas minha opinião sobre o casamento, se não compactua com ela apenas respeite-a).

Eae pessoal da nossa querida esfera financeira, no post de hoje trago minha opinião sobre casamento.

Desde quando havia entrado na faculdade de TI, acredito que pelo menos uns 30~40% da minha turma era tudo casado, e quem não era, estava namorando ou pra noivar. Caras jovens de 22~25 anos, todos comprometidos e acorrentados, fico imaginando, será que o desespero de ficar sozinho ou não arrumar uma "companheira" é tão grande ao ponto de quererem se garantir tão cedo? Mas depois reflito e percebo que quando se é da matrix é normal fazer esse tipo de decisão e comprometer com sua vida, já que o financeiro não é o mais importante.
O que eu vejo como estereótipo de casamento nos dias de hoje.
Coloquei como meta de vida pra eu mesmo, NÃO irei casar, prefiro ter a liberdade aliada ao meu lado sempre, do que casar com uma buceta. Parece que esses caras se apaixonam porque ganham o primeiro chá de xota aí a mulher vira uma deusa no pedestal, e pra não perdê-la o que ele faz? pega e casa... A pergunta mais fácil de todas: "Qual a coisa em comum entre essas pessoas?", fácil, pelo menos uns 90%  das mulheres são uns dragões 3/10 no máximo uma 5.5/10.

Até mesmo no trabalho, galera tudo na faixa dos 28~40, 95% do pessoal casado e 60% com filhos Vejo isso quase como um suicídio financeiro. Uma pessoa dessa nem pensa em IF, só pega o salário, paga as contas, e vive aquela vida mediana até o fim chegar. Já foi-se o tempo em que casamento dava certo, hoje em dia enquanto um se casa devem ter 10 pulando a cerca, ainda mais com a facilidade que o meio de comunicação móvel trouxe, aka "zap zap"(termo comumente utilizado por brasileiros desprovidos de cérebro). Enquanto fico tranquilo só aportando e cuidando do meu futuro, vejo o pessoal se estressar e ficar discutindo problemas relacionados a bixos de buceta mulheres.

Pensamento das mulheres interesseiras que dão golpe do baú:
"vou trair esse fdp levar metade dos bens dele e rodar em caralhos alheios"

Esses dias vi um chaveiro alemão dentro de casa, perguntei onde minha mãe tinha arrumado aquilo, ela disse que uma cliente dela havia dado pra ela pois tinha ido pra Europa.
"Mas ela não trabalha?" -  eu disse.
"Ela era casada com um japonês que era dono de vários terrenos, e um deles foi alugado pra uma concessionária de Peugeot, aí ela largou dele e ficou com um monte de coisa" - ela completou.

Provavelmente vocês já ouviram pelo menos 1 história de alguma pessoa que já fez coisa do tipo. É por essas e outras que prefiro ser livre, pra poder aproveitar meu dinheiro da melhor maneira possível no futuro, sem ficar arrumando esse tipo de problema pra cabeça. Até namorando hoje a pessoa não está livre de perder suas coisas caso a fulana queira dar o golpe.

"Art. 5°: Os bens móveis e imóveis adquiridos por um ou por ambos os conviventes na constância da união estável e a título oneroso, são considerados frutos do trabalho e da colaboração comum, passando a pertencer a ambos, em condomínio e em partes iguais, salvo estipulação contrária em contrato escrito."


Minha sensação ao saber que não preciso preocupar com esse tipo de coisa.

Finalizo esse post com uma reflexão:

Da mesma maneira como você controla suas finanças multiplique por 1000 a sua atenção analítica na hora de tomar uma decisão dessas.



Música da semana:

Twisted Sister - We're Not Gonna Take It


Abraço a todos.

14 comentários:

  1. O problema não é o casamento é sim a dificuldade que as pessoas tem de viver em grupo, e fazer parcerias.
    Qualquer atividade feita com parcerias tem mais potencial, e os investimentos não são diferentes.
    Eu e minha esposa somos casados a 8 anos e somos parceiros em nossos planos, alinhamos nossos desejos e portanto somos um time.
    Quando uma pessoa tem que dividir tudo que tem ai sim vai ser ruim, mas se duas pessoas estiverem trabalhando em conjunto, somando suas economias, suas habilidades, tudo fica mais fácil.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É por isso que prefiro buscar essa parceria (falando em aspecto de negócios) com um sócio/investidor que contribuirá para alavancar o negócio, mas concordo sim que quando 2 pessoas de sexo oposto se unem pra um proposito pode gerar um grande potencial, um exemplo disso são meus pais, abraço!

      Excluir
  2. Mas toda regra tem sua exceção. Eu só tenho hoje uma vida estável e feliz em todos os sentidos, devido a minha esposa. Uma verdadeira companheira, mãe, batalhadora, simples, econômica e íntegra.

    Para achar uma é igual a esta, é como investir em ações; nada é garantido e muitas das vezes em curto e longo prazo é prejuízo em todos sentidos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Apesar de eu preferir ficar sozinho mesmo, concordo que no aspecto de união de forças quando encontra-se a pessoa certa.

      Excluir
  3. Arranjar uma mulher que presta na cidade grande está muito difícil.
    Até as crentes estão virando feminigospel.
    Quando tu arranja uma que acha que presta.
    Mesmo, Acordando, trabalhando e dormindo, se ela quiser te trair, ela vai.
    Mulher é um bicho muito difícil de domar.
    Ainda te leva a metade das coisas mesmo estando errada, tu acha que a palavra de quem que vai ter mais peso lá na frente do juiz? Do barbudo que não vai ser.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, por esses motivos que fujo desse tipo de coisa, nenhuma mulher jamais tocará em meu dinheiro.

      Excluir
  4. Arranjar uma mulher que presta na cidade grande está muito difícil.
    Até as crentes estão virando feminigospel.
    Quando tu arranja uma que acha que presta.
    Mesmo, Acordando, trabalhando e dormindo, se ela quiser te trair, ela vai.
    Mulher é um bicho muito difícil de domar.
    Ainda te leva a metade das coisas mesmo estando errada, tu acha que a palavra de quem que vai ter mais peso lá na frente do juiz? Do barbudo que não vai ser.

    ResponderExcluir
  5. Tenho muitas dúvidas ainda quanto a relacionamentos desse tipo.
    Alguns preferem não casar, mas viver junto com alguém, tipo namoro, pois dizem que não querem ficar sozinhas na velhice, coisas desse tipo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu nem ligo, sou bem tranquilo, sou acostumado a passar tempo sozinho, inclusive é o que eu gosto, durante o dia todo sou rodeado de pessoas e responsabilidades, prefiro manter o pouco de liberdade que resta enquanto ainda se é jovem.

      Excluir
  6. Olá Jovem de Sucesso, eu também sou adepto do marriage strike, nós que nascemos pobres não temos outra chance a não ser sermos solteiros e sem filhos, outro fator importante é comer quantas vadias quisermos sem dor na consciência. Excelente post, casar é arruinar as finanças, principalmente no início da carreira... Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é Jovem Miserável, concordo com comer todas as civis e vadias possíveis, mas casar mesmo é fora de cogitação quanto mais ter filhos, suicidio financeiro e o sonho do milhão já estaria no ralo.

      Excluir
  7. Gostei do blog, e principalmente dessa materia, já que compactuo da mesma opinião. Espero que os posts sejam assiduos!
    Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Phenomenon, obrigado espero que acompanhe sim, faço pelo menos 1 post por semana.

      Excluir
  8. Nem eu consigo mais te explicar como fui casar... fica aí a reflexão: no longo prazo o que sobressai é o sofrimento financeiro causado pelo casamento, o que pode levar um jovem pobre trabalhador à depressão

    ResponderExcluir